Senado pode livrar Renan e Jucá


ACORDÃO Tanto base aliada quanto oposição articulam acordo para evitar prisão do presidente do Senado, Renan Calheiros e do senador Romero Jucá. Caso o STF aprove o pedido de prisão, feito pelo procurador-geral, Rodrigo Janot, eles só poderão ser presos após a aprovação do Senado. É o mesmo processo que ocorreu com o deputado Delcídio Amaral.

TUDO COMBINADO O pedido de prisão dos pemedebistas, que inclui o ex-presidente José Sarney, afirma que eles estariam combinando estratégias e versões de defesa para evitar serem envolvidos pela Lava Jato.

AINDA NA LAVA JATO Um dos delatores da Operação, o engenheiro polonês Zwi Skornicki disse que os valores que transferiu para a conta do marqueteiro do PT, João Santana, eram para a campanha de Dilma Rousseff (2014). A propina de US$ 4,5 mi (cerca de R$ 15 mi) foi pedida pelo ex-tesoureiro do PT, João Vaccari Neto.

ENQUANTO ISSO, NA ECONOMIA Em apenas uma semana, o real desvalorizou quase 7% frente ao dólar. A moeda fechou a quarta-feira em R$ 3,4. A tendência de queda foi influenciada pela sinalização de novas estratégias do Banco Central, com a aprovação do seu novo presidente, Ilan Goldfajn. Na sua sabatina, no Senado, Goldfajn deu pistas de sua gestão, com dólar flutuante e uma ruptura com a política atual.


POST SCRIPTUM A tenista a russa Maria Sharapova foi suspensa por dopping. Sharapova ficará fora das competições da Federação Internacional de Tênis. O dopping ocorreu no Alberto da Austrália, em janeiro. A russa, que já foi número um do mundo, só volta às quadras em 2018.

#propina #procuradoriageral #DelcídioAmaral #RodrigoJanot #JoãoSantana #RenanCalheiros #campanhaeleitoral #IlanGoldfajn #BancoCentral #JoséSarney #quedadodólar #STF #RomeroJucá #DilmaRousseff

1 visualização
  • Facebook
  • Twitter

© 2010 by AntBuzz