Dia de possibilidades: governo pode vetar novo  fator previdenciário e TCU pode rejeitar as contas d

O governo já sinalizou que vai vetar a proposta de alteração do fator previdenciário, aprovada no Congresso. O ministro da Previdência, Carlos Gabas, diz que a mudança seria um desastre para o governo. Já as centrais sindicais apoiam as mudanças aprovadas no plenário. (Estadão)

Segundo relatório do TCU sobre as contas de 2014, os erros de projeção econômica levaram a União a realizar as manobras fiscais – chamadas de “pedaladas fiscais”. Em quatro anos, a diferença entre o projetado e o recebido foi de R$ 251 bi. Só no cálculo de 2014, a diferença negativa foi de R$ 110 bi. O relatório será votado nessa quarta. O relator do processo, ministro Augusto Nardes, sinalizou que recomendará a rejeição das contas, com a alegação de omissão de dívidas no valor de R$ 256 bi. A rejeição da prestação de contas de Dilma pode prejudicar a imagem externa do Brasil. O governo nega ter recorrido a manobras contábeis para ficar no azul. (Folha)

Empresários, políticos e economistas defenderam a despolitização do debate sobre o apoio financeiro do BNDES às exportações de serviços de engenharia. Os debates ocorrem após a divulgação de detalhes sobre as operações internacionais do banco de fomento. O BNDES emprestou, desde 2007, quase R$ 12 bi para obras de empreiteiras brasileiras no exterior. Por outro lado, estudo do Insper mostra que esses financimentos Banco causaram perdas ao Fundo de Amparo ao trabalhador, origem dos recursos para o fomento. Como as operações cobram juros muito baixos, as perdas anuais do FAT smam R$ 1,1 bi. A justificativa do BNDES é que o FAT tem função social e que os empréstimos gerarariam empregos no Brasil. O FAT, além de apoiar o BNDES, paga o abono salarial e o seguro desemprego. (Valor – Globo)

1 visualização
  • Facebook
  • Twitter

© 2010 by AntBuzz